A colaboração da internet para o Jornalismo

Por Danilo Barros Andrade
barrosandrade@hotmail.com

Há alguns dias li uma matéria na revista imprensa cuja capa dizia:  BLOGUEIRO NÃO É JORNALISTA.  Uma discussão que dá pano pra manga.

A internet brasileira a cada dia toma forma. Há quem diga que com o advento do blog qualquer pessoa pode ser um jornalista. Estamos vivendo um processo contínuo de evolução da internet e, na minha opinião, este só tem a contribuir para a disseminação das informações e para a qualidade do jornalismo.

Alguém já tem na ponta da língua como a internet absorveu o jornalismo? Sou suspeito falar, mas a internet trouxa maior agilidade na divulgação dos fatos e permitiu a manifestação de muitas pessoas (blogs) trazendo a tona àqueles assuntos que “teoricamente” não era tão importantes. Você ainda acredita que a internet é uma rede mundial de pessoas? Eu não! Esta é uma rede mundial de PESSOAS, porque permite qualquer cidadão se transformar em um produtor de notícias.

Já parou para pensar em como era o mundo 10 anos atrás? Antes do Google? Hoje podemos dizer que o jornalismo é muito mais participativo.

“O jornalismo encontrou na Internet a possibilidade de informar a 360º: texto, som e imagem.”

Para entender melhor o processo de evolução da comunicação:

Com a internet o produtor de conteúdo tem o poder publicar o texto  sem precisar passar pelo crivo do Editor.

Quem é que não lembras do caso da explosão das Torres Gêmeas? Em pouco tempo muita gente compartilhava com os colegas o momento com que gravaram no celular, na máquina fotográfica e muitos outro meios, inclusive, é claro, a internet.

Muitos blogs são alvos de críticas por causa da credibilidade das informações. Sabemos que o Jornalismo sério é um pouco mais denso. Apuração de fatos, fontes precisas etc.  É que por incrível que pareça muita gente tem medo ainda dessa tal de tecnologia.

Posso dizer que esta é a segunda revolução altamente significativa do jornalismo. A primeira aconteceu no momento da produção do jornal impresso em série.

MONTAGEMMinuto a minuto a informação muda. Novas tecnologias surgem e outras ficam mais obsoletas. Normal, mas a consequência disso é que o cliente fica mais exigente. Óbvio. Na internet o furo de reportagem é praticamente intantâneo. Hoje a leitura das notícias acontecem praticamente em tempo real. Não temos trabalho ao ler a notícia pela internet. Veja bem. Você na sala com seu notebook no colo lendo uma notícia: Não amassa. Não se desfaz quando molha.  Não desbota. Não solta tinta. E com o tal do BD – Banco de dados, pode ser lida a qualquer hora. Nada contra quem ainda gosta do impresso.

O conceito de jornalismo colaborativo está cada vez mais em voga. Objetivo: Descentrealização das informações do Emissor. (webjornalismo)

Já ouviu falar no wikis? Notícias e conteúdos diversos que permitem a colaboração e edição de
textos já publicados pelo internautas. Quando isso seria possível? Pois bem. Agora é. E funciona muito bem. Já ouvi dizer que a enciclopédia WIKIPEDIA tem mais credibilidade do que a BARCA. Como pode? É a internet que fez e faz isso. A COLABORAÇÃO.

Com certeza a evolução da tecnologia digital colabora positivamente para o jornalismo.

Pergunta:  Os jornalistas estão começando a deixar de ser o maiores responsável pela coleta de informações, mas talvez os responsáveis pela revisão destas? Estariam sendo obrigados a depositar a confiança naqueles que nunca ouvimos falar? Vale lembrar que a legitimidade das informações sempre foi um premissa básica para o jornalismo. Vale a reflexão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s